Caraguatatuba terá Comitê Municipal de Vigilância à Violência com rede de proteção às vítimas

O prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Junior, assinará no próximo dia 5 de outubro o decreto que cria o Comitê Municipal de Vigilância à Violência (Comviv), que terá grande papel no combate à violência no município, englobando serviços de atendimento oriundos de diversas secretarias municipais.

A intenção do órgão é levantar e analisar casos de violência na cidade, elaborar um fluxo de atendimentos e estabelecer políticas para diminuir o número de ocorrências.

O Comitê será formado por 23 membros e terá representantes das Secretarias de Saúde, Desenvolvimento Social, Segurança, Educação, Assuntos Jurídicos, Esportes e Fundacc, além da Casa de Saúde Stella Maris e os Conselhos Tutelar, do Idoso, da Pessoa com Deficiência, da Condição Feminina, dos Direitos da Criança e do Adolescente, de Saúde e da Assistência Social.

De acordo com o prefeito, o projeto criará uma rede de prevenção e atenção à violência intersetorial. “Precisamos acolher às vítimas de violência, sejam crianças, jovens, homens, mulheres e os idosos. Será uma espécie de rede de acolhimento”, explica.

A presidente do Comviv, Lídia Ferreira, afirmou que é preciso educar a população a prestar um atendimento humanizado voltado a vítima.

“A pessoa que sofre com isso não tem para onde ir, não tem a quem recorrer e o Comviv será implantado para evoluirmos nesse aspecto. Precisamos da participação efetiva de todos nesta luta”, falou.

Canais de denúncia

Além dos meios já oficiais de denúncias (Polícias Militar e Civil) e o atendimento direto realizado na Secretaria de Saúde, o Comitê contará também com uma página no facebook para alertar a população e para que a vítima possa fazer a denúncia in box aos responsáveis pelo programa.

Realizar denúncias de agressão ainda é um tabu na sociedade, segundo avalia a presidente do Comviv.

“É muito difícil fazer uma denúncia, principalmente quando se trata de uma criança ou uma mulher. Às vezes o agressor comete a violência de uma forma que ela passe despercebida”, ressaltou Lídia Ferreira.

O acolhimento será uma das principais funções do Comitê. “A vítima não tem a quem recorrer quando sofre algum tipo de violência. Às vezes por dependência do agressor, ela acaba não denunciando. Nossos médicos estão sendo preparados para ter a percepção sobre esses problemas. Nossos policiais precisam fazer um atendimento humanizado, sem julgamentos e nem teorias que deixem as vítimas mais constrangidas. A meta do Comviv é melhorar todos esses procedimentos”, declarou.

Fonte: Prefeitura de Caraguá

Comentários

Comentários


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/portalcaicara/www/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: