Ubatuba sedia II Encontro Sem Fronteiras de Teatro do Oprimida/o

Ubatuba recebe, de 12 a 15 de novembro, o II Encontro Sem Fronteiras de Teatro do Oprimido/a. O evento reúne artistas, pesquisadores, curiosos e todos que desejam conhecer mais sobre essa arte. Mais de dez coletivos artísticos com integrantes vindos de diversos estados brasileiros e até de outros países da América Latina integram uma programação gratuita. Os grupos irão proporcionar atividades em diferentes bairros da cidade, além de intervenções em pontos centrais. Ao todo serão 10 oficinas, 7 apresentações, duas mesas de debates e muita arte.

O evento é organizado por uma rede de parceiros e conta com apoio da FundArt e da Prefeitura Municipal de Ubatuba, por meio da Secretaria Municipal de Educação.

Sobre o Teatro do Oprimido:

O Teatro do Oprimido (TO) é uma metodologia criada por Augusto Boal nos anos de 1960, que pretende usar o teatro como ferramenta de trabalho político, social, ético e estético, contribuindo para a transformação social. Foi desenvolvida (e está ainda sendo, nas mãos de quem usa agora este método) ao longo das diferentes experiências de Boal, quer na América Latina (onde viveu a ditadura brasileira e a derrota das esquerdas latino-americanas que o levaram ao exílio) quer na Europa.

Confira a programação:

Sábado, 12/11/2016

Sobradão do Porto – Centro

17h – Lançamento do livro “Teatro do Oprimido, Raízes e Asas: uma teoria da práxis”, de Bárbara Santos, com fala da autora e sessão de autógrafos.

17h45 – Mesa de abertura- Mulheres e suas vozes: O Teatro do Oprimido e a Arte no contexto sociopolítico atual.

19h30 – Peça “Pagú, Maria Bonita e Terezinha: o que existe delas em nós?” (teatro fórum) – Coletivo Pagú pra ver de Teatro do Oprimido (São Paulo/SP)

21h – Maracatu Itaomi convida baques de Ubatuba

Domingo, 13/11/2016

Escola Municipal Altimira Silva Abirached (Bairro Itaguá)

9h às 12h – Oficinas, Laboratórios e Processos:

Laboratório curingado por Bárbara Santos sobre a peça teatro-fórum do Coletivo Pagú Pra Ver apresentado na noite anterior.

Abertura de Processo de peça “XX”, sobre gênero, do GATO Coletivo, de Hortolândia-SP, seguido de um laboratório coletivo de generosidade crítica.

Oficina “Percussão Corporal Voltada para os Fundamentos do TO” curingado por Cala Gazze (Paraty/RJ).

Aldeia Boa Vista – Bairro Prumirim

14h30 às 17h30 Oficina “Performando o Oprimido” (Jeniffer Francisco – Campinas/SP)

Quilombo do Camburi

14h30 às 17h30 Oficina “Introdução ao Teatro do Oprimido” (criação musical) (Coletivo Garoa – São Paulo/SP)

Blábláblá Posithivo – Terminal Turístico do Perequê-Açu (Espasol)

14h30 às 17h30 Intervenção “A Espera” e Oficina “Como você nasceu? – Pensando a violência obstétrica e o parto humanizado a partir dos jogos do teatro do oprimido” (Coletivo Moara Teatro das Oprimidas e dos Oprimidos – São Paulo/Santos/ABCD/SP)

ONG Gaiato – Bairro Ipiranguinha

14h30 às 17h30 Oficina “O Corpo Fala” (teatro fórum) (Armindo Pinto – Salvador/BA)

19h30 Peça Teatro-Fórum “Pagú, Maria Bonita e Terezinha: o que existe delas em nós?” (Coletivo Pagú pra Ver de Teatro do Oprimido – São Paulo/SP)

Projeto Namaskar – Bairro Sesmaria

14h30 às 17h30 Oficina “Introdução ao Teatro do Oprimido” (teatro imagem) (GTO Tandil – Argentina)

19h30 Peça “Panela de Barro” (Tablado de Ó Linda Brasil – Santana de Parnaíba/SP)

Sobradão do Porto – Centro

22h – Peça “Um Morro e Duas Cidades num Planeta Enfermo” (Dramaturgia Rural – Santana de Parnaíba/SP)

Segunda-feira, 14/11/2016

Escola Municipal Altimira Silva Abirached (Bairro Itaguá)

9h às 12h – Oficinas e laboratórios criativos:

Oficina “Introdução ao Arco-Íris do Desejo” curingado por Kelly di Bertolli (Coletivo Garoa – São Paulo/SP).

Laboratório de experimentação em novas possibilidades em Teatro do Oprimido curingado por Anderson Zotesso, Weber Carvalho, Islaine Garcia, Gina Biagioli e Simone Rodrigues.

Laboratório de Generosidade Crítica da peça “Panela de Barro” do grupo Tablado de Ó Linda Brasil.

Sobradão do Porto – Centro

19h30 Mesa de Encerramento: A Arte e a Cultura como Ferramentas de Luta e Resistência dos Povos e Comunidades Tradicionais

21h Peça-show “Opereta em Construção” – Bandagaroa, Coletivo Garoa (São Paulo/SP)

22h Baile com o Grupo Fandango Caiçara de Ubatuba

Terça-feira, 15/11/2016

Ervário Caiçara – Bairro Sertão do Ubatumirim (Projeto Bacuri)

9h às 12h Oficina “Dramaturgia Rural” (Dramaturgia Rural – Santana de Parnaíba/SP)

Fonte e foto: Prefeitura de Ubatuba

Comentários

Comentários


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/portalcaicara/www/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: