Vereadores de Ubatuba aprovam remanejamento de verbas da prefeitura para pagamento de 13º dos funcionários da Santa Casa

Os vereadores Claudnei, Dr. Ricardo, Bibi e Júnior criticaram a ex-gestora da Santa Casa, elogiaram o atual Roberto Tamura, e comentaram que irão pedir explicações sobre atuação da ex-gestora

Em sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira, às 12h, os vereadores de Ubatuba aprovaram por unanimidade o projeto de lei que dispõe sobre remanejamento de verbas no orçamento vigente no município de Ubatuba para a área de saúde, principalmente em relação à Folha de Pagamento dos Servidores da Santa Casa, tal iniciativa vai possibilitar o pagamento do 13º terceiro dos funcionários da Instituição.

Antes de aprovarem o projeto, os vereadores criticaram duramente a ex-gestora da Santa Casa Maria Isabel e elogiaram o atual gestor Roberto Tamura. Leia abaixo alguns comentários feitos pelos parlamentares durante a sessão:

“…É bom deixar claro que fica notório que a gestão anterior da Santa Casa, como várias vezes colocamos, que deu margem a um requerimento para reduzir até o seu salário, de 25 mil para 15 mil reais, que não atuou de forma coerente, fazendo previsões legais e deixando chegar no final do ano a ponto de ter essa problemática. Até então em todos os outros anos foram repassados recursos e nunca houve a necessidade de um provisionamento, porque quem estava e fazia a gestão, fazia de forma ordenada e que os funcionários tinham seus décimos terceiros pagos. A gente percebe que a ex-administradora não estava apta e em condições de fazer a gestão da Santa Casa. E pelo que eu sei ainda tenta ter ingerência na administração. Mas, hoje sabemos que é o Roberto Tamura, que esteve à frente da secretaria, e já que desenvolveu um trabalho muito bom na cidade….Ficou claro que estávamos certos…E que o nosso prefeito fez esse remanejamento. Pelo que sei hoje ela está no Gabinete, espero que esteja trabalhando, porque ela é paga pelo município para trabalhar…” – Vereador Pastor Claudnei.

“Gostaria de complementar a fala do Claudnei lembrando que a ‘portuguesa’ foi levada para a Santa Casa com o intuito de resolver principalmente os problemas financeiros. Ela não resolveu e deixou uma dívida muito grande e inclusive desse décimo terceiro salário, na época prometia que faria uma economia de 200 mil reais por mês e criou um terrorismo dentro da Santa Casa. Contratou gente que não tinha necessidade de trabalhar na Santa Casa, colocou a Santa Casa para trabalhar ao modo dela, se é gestora hospitalar a gente não sabe, não vimos diploma, mas realmente saiu da Santa Casa por uma ação movida por essa Câmara e atualmente tem ido na Santa Casa não como paciente, mas achando que ainda manda lá. Gostaria que os nobres vereadores se posicionassem para que ela não faça visitas à Santa Casa, muito menos acompanhando promotoria porque não é da alçada dela, e desmandando o que está sendo feito na Santa Casa. Porque estamos tentando organizar, diminuir os custos, hoje está se fazendo licitação das coisas que ela não pagou…A Santa Casa está passando por uma péssima situação, mas estamos tentando, nós, a prefeitura, e o Tamura, que está dando a maior força para que a Santa Casa vá para um caminho bom. Ela saiu e continua lá, continua aquela história de Portugal ainda manda no Brasil. Quem paga o pato somos nós, brasileiros. Gostaria senhor presidente que a gente fizesse uma carta ao prefeito para que realmente ele alijasse ela na prefeitura. Porque na Santa Casa ela gasta mais do que a gente prevê” – Vereador Ricardo.

“Gostaria de perguntar para essa senhora se um dia foi atrasado o salário dela de 25 mil reais? Eu duvido. O salário dela foi em dia. E outra pergunta eu deixo: que trabalho desenvolve essa senhora? Que seja feito um documento nessa casa para saber o que uma funcionária do gabinete do prefeito está fazendo na Santa Casa – sendo que lá já existe alguém gerindo, alguém tomando pé da situação descabida que ela deixou. Vamos fazer esse documento cobrando, qual o trabalho ela faz nessa cidade, e qual compromisso ela tem conosco…” – Vereador Júnior.

“O que essa senhora fez na Santa Casa ontem, em um horário fora da hora de visita, entrando na hora que quer, foi uma afronta ao prefeito, e aos vereadores dessa Câmara. Já pedimos o afastamento dela da Santa Casa, mas ela está se achando, achando que é dona da Santa Casa ainda. Achando que a Câmara já estaria de recesso. Ela esteve lá ontem, causou, provavelmente seus ‘cupinchas’ ainda estão lá, que são mais cabeças que precisam rodar lá. Então, já deixo recado para o senhor prefeito, sei que é um desejo dos 10 vereadores, que já conversei, para que essa mulher nem trabalhe na municipalidade mais, nem em secretaria nenhuma…Que ela pegue as malas dela e saia da nossa cidade. Ela está causando constrangimento nos funcionários da Santa Casa, não sei quem autorizou ela entrar lá, ela não pertence a nenhum órgão de fiscalização, ela está subordinada ao prefeito…isso aí é uma afronta até ao prefeito. Ela foi lá e afrontou as decisões do Tamura, que vem fazendo um bom trabalho na Santa Casa tentando sanar as coisas que ela fez…” – Vereador Bibi.

O outro lado

O Portal Caiçara entrou em contato com a Comunicação da Prefeitura de Ubatuba para ouvir o prefeito Sato ou a ex-gestora, que hoje trabalha no Gabinete. Diante dos questionamentos feitos pelos vereadores, a Prefeitura emitiu a seguinte nota:

“Maria Isabel Rodrigues Cruz é secretária Superintendente de Desenvolvimento Sustentável. Vem desenvolvendo tratativas com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) visando a disponibilização de recursos para a construção de uma UTI em Ubatuba e também é responsável pela interface do hospital de Ubatuba com o novo hospital regional em Caraguatatuba”.

Foto: Prefeitura de Ubatuba

Comentários

Comentários


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/portalcaicara/www/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: